INCRIÇÕES ABERTAS

Valor da mensalidade - R$ 300,00

Dias e horários das aulas

 

Segundas-feiras das 19:30 às 22:00

10 meses de encontros quinzenais (de março a dezembro)

As aulas serão pelo ZOOM*

Aviso - os encontros serão gravadas e ficarão disponíveis por 6 meses.

Público-alvo

Educadores sociais, evangelizadores, catequistas, professores, pais. Considerando-se o caráter interdisciplinar da proposta pedagógica que serve de fundamento epistemológico para os nossos cursos (Pedagogia Espírita), serão aceitos alunos de qualquer área do conhecimento.
 

Como serão os encontros?

On-line pela plataforma Zoom

• Os encontros serão feitos a partir de ideias, proposições e temas aportados e conduzidos pela coordenadora e a partir das demandas, experiências, questões trazidas pelos participantes.

• Uma vez por mês, um professor convidado fará uma palestra com interação do grupo.

• Metodologia: Exposição dialogada, leitura de textos, debates, vivências, poesias, músicas, filmes, meditações, palestrantes convidados.

Pagamento

O valor mensalidade é R$ 300,00.
Clicando no retângulo vermelho acima você preenche uma ficha de inscrição. Entraremos em contato para enviar os 10 boletos referentes às mensalidade do curso de março a dezembro.

 

*Sobre o ZOOM

Usamos a versão Pro, que não tem limite de tempo e não tem os problemas de segurança da versão gratuita. Os participantes terão que instalar o aplicativo no celular ou baixar o software no computador para poderem acessar a sala de reunião onde a aula será transmitida.

Sobre o professor

Dora Incontri é jornalista, educadora, mestre, doutora e pós-doutora em Educação pela USP. Ela quer mais liberdade e amor na Educação de todos e de todas, mas não deseja jogar fora o que a Universidade fez em mil anos de história. Anarquista, com dois pés no futuro, que mantém um vínculo com os grandes mestres do passado. 

Clique no ícone ao lado para baixar a programação completa com a relação de professores que vão participar do curso.

CAPACITAÇÃO 03.jpg
Inscrições encerradas

Capacitação em Pedagogia Terapêutica:

encontros teórico-vivenciais

Apoio pedagógico-terapêutico para pais, avós, tios, professores, educadores sociais e interessados em geral.

Quem educa e está em contato com crianças e adolescentes, está muitas vezes procurando referências teóricas de correntes pedagógicas, orientações de práticas didáticas, propostas educacionais que venham resolver impasses de aprendizagem.

 

Mas quase nunca se pensa que o ato pedagógico depende do tipo de vínculo que se cria com os educandos, depende do contexto emocional em que a educação se dá e, sobretudo, de como o educador está bem resolvido consigo mesmo, para que a educação seja algo mais do que mera transmissão de conhecimento pronto.

Temos entre nós um dos maiores índices de burnout profissional justamente entre professores e, poderíamos agora acrescentar, que durante a pandemia, em que pais passaram a conviver mais intensamente com os filhos, também eles experimentaram estresse e desorientação, além de seus constantes questionamentos e perplexidades diante da educação dos filhos num mundo tão complexo.

O educador não aprende a cuidar de si mesmo, não aprende como cuidar das emoções dos educandos e não sabe que o essencial da educação não é gramática, matemática, ciências e história. Nenhum conhecimento adianta se a educação não tratar de temas existenciais, se não ensinar o educando a se conhecer, a pensar em sentido de vida, finitude, espiritualidade, valores, questões sociais…

 

Para que o educador tenha condições de trabalhar vivências, debater ideias e se fazer acolhimento para os educandos, sejam eles alunos, filhos ou netos, é preciso que ele próprio seja acolhido, cuidado e tenha a oportunidade de se revisitar, se questionar sobre sua identidade, seus valores, seus traumas, seu sentido de vida, sua finitude e sua possível espiritualidade.

O educador, para ser educador, e não apenas transmissor de conteúdos sem sentido, tem de fazer uma releitura de si mesmo. Precisará reencontrar a criança que já foi, revivê-la, valorizá-la, libertá-la dos traumas que teve na infância, das repressões que sofreu numa educação inadequada, que continua a reproduzir indefinidamente. Passar de novo a olhar o mundo com o olhar sensível das crianças.

Estamos mergulhados num mundo complexo, de múltiplos desafios: a vida das novas gerações focada e transcorrida o tempo todo nas redes sociais; as tendências depressivas e suicidas que aparecem cada vez mais precocemente em pré-adolescentes e adolescentes; a falta de horizonte profissional e político para os jovens, num mundo cada vez mais tecnológico, em que o valor humano se perde; um momento histórico de ameaça climática à própria sobrevivência da nossa espécie no planeta.

 

Como lidar com tudo isso com crianças e adolescentes, sem deixar de lado o necessário espírito crítico, a real avaliação das mazelas do mundo e ao mesmo tempo incentivar a esperança, o trabalho e o engajamento em projetos existenciais significativos, que possam começar a mudar o mundo?

Programação:

Março, dias 14 e 28

• Educar para quê? Educação pelo amor e para o amor

• As referências dos clássicos da educação: Sócrates, Comenius, Rousseau, Pestalozzi.

• O projeto educar.

• O afeto na educação. Afeto propõe limites?

• Liberdade combina com disciplina? A pedagogia do Encontro.

• Temas e perguntas trazidas pelos participantes.

 

Abril, dias 11 e 25

• Quem educa quem? O educador e o educando hoje

• Só educa quem se educa e quem se cuida

• As crianças e os adolescentes no século XX.

• A tecnologia como aliada ou como inimiga da educação?

• O adoecimento psíquico em crianças e adolescentes.

• Os desafios do diálogo, da confiança e da troca entre educador e educando, entre pais e filhos.

• Temas e perguntas trazidas pelos participantes.

 

Maio, dias 9 e 23

• Sentido existencial e Projeto de vida  

• Qual o sentido da minha existência? Qual meu projeto de vida?  Vivo de acordo com esse projeto?

• A logoterapia e o sentido existencial.

• A inspiração de biografias humanas significativas.

• Contanto a história de grandes pessoas.

• Temas e perguntas trazidas pelos participantes.

 

Junho, 06 e 20

• Educação e valores

• O que considero como valores em minha vida? Quais são as raízes dos meus valores? Consigo realizá-los em meu cotidiano

• As virtudes – o que são, quais são e como cultivá-las

• Os valores são relativos?

• Como se educar para a ética?

• Temas e perguntas trazidas pelos participantes.

 

Julho, dia 04

• Revisão do semestre e encontro livre para debate sobre as questões levantadas e sobre o andamento do curso

Agosto, dias 01 e 15

• Educação, terapia e emoções

• Como você lida com suas emoções? Fala sobre elas? Consegue exprimi-las?

• A arte como expressão das emoções

• A terapia como cura de feridas da alma

• As emoções em nós da infância e da adolescência

• As emoções do geração do século XXI

• Temas e perguntas trazidas pelos participantes.

 

Agosto, dia 29 e Setembro, dia 12

• Dores, resiliência e superação

• O que me faz sofrer? Como interpreto o sofrimento? Como lido com o sofrimento?

• Traumas e superações.

• A capacidade de resiliência • Como transmitir aos filhos e alunos a segurança de enfrentarem as adversidades da vida?

• Temas e perguntas trazidas pelos participantes.

Setembro, dia 26 e Outubro, dia 10

• Questões sociais do mundo contemporâneo – como se haver com eles?

• Que me causa indignação e admiração na sociedade? Que posso fazer para melhorar essa sociedade? Meu projeto de vida está ligado a alguma contribuição à humanidade? • Complexidades e perplexidades do mundo atual

• A possibilidade de uma cultura de paz.

• A crise climática e a educação ecológica

• Temas e perguntas trazidas pelos participantes.

Outubro, dia 24 e Novembro, dia 7

• Educação para a finitude

• Como vejo a minha morte? Como vejo a morte do outro? O que a morte me ensina?

• Educação para a vida e para a morte

• Lutos, como elaborar

• Tanatologia para crianças e adolescentes.

• Espiritualidade e Finitude

• A contribuição de Elisabeth Kübler-Ross.

• Temas e perguntas trazidas pelos participantes.

Novembro, dia 21 e Dezembro, dia 5

• Espiritualidade plural

• Tenho alguma forma de espiritualidade? Qual a importância dela em minha vida? Como a vivencio?

• Saúde e Espiritualidade

• Educação e espiritualidade

• Espiritualidade para ateus?

• Espiritualidade dentro e fora das religiões

• Espiritualidade crítica e plural

• Temas e perguntas trazidas pelos participantes.

Dúvidas sobre o curso? Mande um email para pampedia@pampédia.com.br